02.06.2012 - Uma semana - Island

Hoje faz uma semana que estamos por aqui, bateu um momento nostalgia, não sei bem o motivo, já que temos mais de duas semanas ainda :/

Quando acordei e fui pisar, não conseguia, o pé doía muito. Todos os dias antes de dormir eu passo Icy Hot e tomo Ibuprofen PM, mas ontem cheguei do Walmart podre, tomei banho e esqueci, dormi vendo um jogo de basquete na TV.

Aí ficamos num impasse : ir ou não ? Agüentar ou não ?. O marido me fez uma massagem que ajudou um pouco e fomos, a intenção principal era o Harry Potter, já que no outro dia não conseguimos de tão lotado. O Island tem lotado direto, ontem também estava a mesma coisa.

(meses depois já no Brasil)...

Decidi tentar, estava tendo problemas todos os dias com essas dores, culpa do maldito sedentarismo. Mas lá fomos nós. Chegamos no parque por volta das 10:30 e fomos direto para a parte do Harry Potter, o dia estava lindo. Mas a previsão dizia que viria mais chuva.


As filas estavam com cerca de 15 minutos, nada perto dos 75 minutos que pegamos dias atrás. Graças a Deus. Então primeiro fomos no Castelo, estava um sol muito quente e a fila é bem abafada, mas nada que não desse para aguentar com água e paciência.

Eu não sou fã assim assumida de HP como sou de Crepúsculo, mas vi quase todos os filmes e li alguns livros, embora tenha todos guardados em minha estante. Fiquei encantada com a riqueza dos detalhes, tudo muito bem feito. Até o marido que não gostava ficou encantado com tudo e quer muito voltar.
O Mateus (para variar um pouco) ao ver a escuridão na parte interna do castelo, começou a chorar então fui conversando para ele e explicando que ali era a escola de magia e etc, então ele disse que queria ver a Hermione e tentaria ficar calmo (ele é apaixonado pela Hermione) e como eu diria a ele que ela não estaria lá ? Deixei estar.


Chegamos a parte dos quadros falantes, gente que coisa linda. Não tenho nem palavras para descrever. Muito bem feito. Muito mesmo.


E não foi que no meio de tudo a Hermione apareceu ? Ele perguntou se era de verdade ou de mentira, mas vi que ele estava tão encantado que disse que era de verdade. Então ele começou a acenar e a chamar por ela e me perguntou porque ela não via ele. Então expliquei que tinha muita gente e ela não podia dar atenção para todo mundo porque tinha de estudar.

Ele não pode entrar no simulador por conta da altura, então ele ficou na sala do Baby Swap com minha cunhada, depois eu entrei na sala e minha cunhada foi com meu esposo. Achei muito interessante a sala, principalmente por ter TV passando desenhos e bancos para sentar, à aquela altura eu precisava muito. Ainda bem que ele não pode entrar, porque estou certa que morreria de medo dos Debentadores.

Saindo de lá você cai aonde ? Para variar na lojinha. Então paramos novamente para compras. Comprei um par de luvas que eu estava mesmo precisando naquele verão todo e um moletom, ambos da Grifinória. O Mateus quis uma espada que comprei também, mas a espada fazia aquele barulho super legal tim tinim, tim e não tinha como desligar, então foi super animador andar com aquilo na cabeça o dia todo. rsrsrsrs.

Saindo de lá vimos que aquela ridezinha do cara barbudo, estava vazia e lá fomos nós.

Fiquei preocupada com o Mateus, porque como nem deu para perceber, ele é bem medroso. Então sugeri que ele fosse com o marido e eu iria sozinha. Mas acabei indo com um senhor de Boston, super simpático e fomos conversando durante o trajeto rsrsrs.


Só que quando você acha que conhece uma criança, você é pego de surpresa. Ele não só adorou, como foi mais 4 vezes, porque estava sem fila e sobrou para o marido. Eu arrumei um cantinho na sombra e fiquei ali sentada, só levantava para tirar fotos deles.

Ainda não tinha visto o Mateus tão feliz em nenhum dos brinquedos, foi muito lindo ver ele assim. Então eu fiquei embaixo com a camêra do marido e ele levou a minha, mas quem disse que ele lembrou de colocar para gravar ? Deu pau em todas as vezes em que eles foram, uma pena.

E foram mais uma vez, mas no primeiro carrinho.

De lá seguimos para a Olivaras, a fila estava grande, mas no primeiro dia estava bem maior com previsão de uma hora, neste dia era de 30 minutos e resolvemos arriscar. Mas o sol estava muito, muito quente, então coloquei o Mateus sentado na sombra em meu campo visual e eu fiquei na fila (não basta ser mãe, tem de participar)

A cerveja amanteigada frozen, foi a solução para ajudar a aliviar um pouco o calor. Desta vez sem a caneca, porque já tínhamos duas no hotel, fora todas as outras que fomos comprando e ganhando.

Chegou a nossa vez, finalmente e o Mateus era pura empolgação, porque dependia disso para que ele pudesse ter uma varinha. Infelizmente o Mateus não foi o escolhido para a interação dentro da Olivaras, mas ainda assim ele era o primeiro a bater palmas, pular e gritar em cada efeito que acontecia lá dentro. E eu de novo fiquei toda emocionada com a magia.

Então, entramos na loja e conversamos com ele para saber qual varinha ele queria e depois de muitas escolhas em vão, a varinha do Harry o escolheu e ele a ela. E lá vamos nós a fila dos caixa.

Mateus ficou muito feliz com a varinha dele, mas foi mais uma coisa para eu ter de olhar o tempo todo. Mas ele começou a achar moedas pelo parque, começou a acreditar que era o poder da varinha, então durante todo o resto do dia, ele teve uma diversão.

Mais uma pausa na Honeydukes, mas desta vez apenas para fotos. Detalhe : eu comprei vários pacotes de doces, mas até agora, não tive coragem e nem disposição para comer nenhum.

Pouco depois disso, as filas voltaram a subir para mais de uma hora, as minhas pernas voltaram a doer com força máxima. E embora não pareça, eu sou muito forte para dor, mas estava impossível mesmo. Então, resolvemos ir embora. E essa foi a minha última visão de lá

E ali eu fiquei parada por alguns minutos, com exatamente esta visão. Mais uma vez agradeci a Deus pela oportunidade de estar ali vivendo o meu sonho. De estar contemplando a realidade de tudo aquilo. E mais uma vez, a emoção veio com força e dessa vez, eu me deixei levar. Sai dali chorando.

Perto da saída, encontramos com o Pica Pau e aproveitamos para fazer fotos.


E lá fomos nós de volta aquela epopeia cansativa de Citiwalk, estacionamento. Mas me lembrei que estávamos sem almoçar, e como fã incondicional que sou de Forrest Gump, adivinha o que veio a mente ? Vamos almoçar no Bubba Gump, que encanto. Fiquei muito feliz com aquele lugar, lindo, maravilhoso, detalhista, emocionante. Valeu muito. Comi um arroz com camarões, mas esqueci de pedir sem pimenta, no começo estava delicioso, mas depois... rs. Afinal lá tem camarão com limão, com coco, assado, ensopado, enlatado, guizado, churrasco e tudo o mais que o Bubba diz. Eu ao ler o cardápio eu ria sozinha ao lembrar desta cena em que o Bubba fala todos os tipos de prato de camarão possíveis rsrsrsrs.
Ali eu observei tudo, tudo mesmo, com os olhos da alma, guardei cada cantinho na minha camêra e no meu coração. Como dizia minha professora de fotografia, na camera da alma.
O cardápio de bebidas é na raquete de ping pong e em cada mesa tem uma placa, Run Forrest Run e Stop Forrest Stop, em referência se você desejar que o garçom passe direto, ou pare para te atender.

Ao sair do restaurante, parei na lojinha, como não podia deixar de ser. E mais compras úteis : camisetas, bonés, imãs de geladeira, blusinhas e placas (todas as que tinham na loja) :)

A foto na entrada clássica demais para quem é fã do filme, eu não pude deixar a vergonha de lado e sentar lá toda orgulhosa.

O tênis "Me deu uma vontade de correr e eu corri, e quando vi que podia chegar até lá, eu pensei porque não posso chegar até o outro lado ? E corri mais um pouco. E passei três anos correndo..."

A mala que leva toda a história do Forrest. E a caixa de bombons : "Minha mãe dizia que a vida, é como uma caixa de bombons, você nunca sabe o que esperar dela".

Bom, não sei exatamente se as frases são assim, mas devem ser bem semelhantes a isso, se a minha memória não falha (como sempre costuma falhar rsrsrs).

Saímos de lá e voltamos para o hotel e ficamos na piscina relaxando um bom tempo.
(texto original, escrito ainda em Orlando)

Por volta das 18 voltamos ao quarto, tomamos banho e fomos ao Walmart para buscar as malas que compramos pela internet.
No Walmart tem uma maquina que faz Tag para a coleira de cachorro, fizemos para os nossos.
USD 5 cada, muito interessante.

No Walmart não achei nada para tratar o cabelo. Me indicaram um produto chamado Aussie 3 minutes, mas quem disse que eu acho ?

Na esquina aqui de casa, tem um Walgreens, resolvi passar lá para procurar, mas também não tinha. Então comprei o creme de pentear, o óleo e o creme de hidratação da Organix de Argan. Estava USD 8,90 cada , mais eu comprei 3 e paguei 2 o caixa me disse que era uma promoção. Mas não tinha nenhuma placa informado sobre, enfim... Brasileiro dá vergonha mesmo, na fila na nossa frente tinha um casal batendo boca, falando alto, se xingando, falando palavrão, uma falta de respeito. Outra furando a fila do caixa... Sem noção.

Saímos de lá e deu fome, resolvemos comprar pizza na Pizza Hut. MICO eu comprei uma de BBQ pensando que era de churrasco e era de molho, comprei uma de bacon, achando ser bacon e era carne, fora q vc esperaria um número de chamada, só que no cupom existem 2 números, eu estava esperando pelo debaixo hahahahaha só que era pelo de cima, então já da para imaginar o mico né ?! Eu nem vou entrar em detalhes, porque a mulher ficou só uma meia hora berrando o número de cima e eu reclamando pelo número de baixo, até nos entendermos, levou um tempinho.

Hoje foi a festa de aniversario da minha mãe,foi em um restaurante dançante em São Bernardo e como era o primeiro ano em que eu não estaria presente, achei que seria meio estranho para nós todos, então o marido teve a brilhante idéia de ligar no restaurante para falar com ela, foi muito legal e emocionante. Depois falamos com meu primo que estava lá pelo Skype, muito legal, mas como a diferença de internet era muito grande, não dava para ouvir o som muito bem. Então ficamos todos nos dando tchau por alguns diversos minutos, ninguém falava nada, só ficavam acenando e nós também kkkkkk.

Fomos dormir por volta da uma da manhã. Ainda com a melhor lembrança de todas...

01.06.2012 - Island que virou Universal

Seguimos mais uma vez para a sina de todos os dias. Estacionamento, Citiwalk...Minha cunhada resolveu ficar no hotel porque estava muito cansada, então éramos apenas nos três. O dia estava feio, cinza e chuvoso, mas quem está na chuva é para se molhar (ou quase isso).

A principio nosso roteiro era para irmos ao Island, mas quando pegamos para a esquerda começamos a ver que estava enchendo, enchendo, enchendo e notamos que se no primeiro dia que não estava tão cheio não deu para aproveitar, hoje daria muito menos, então invertemos e fomos a Universal novamente. Várias atrações não tinham sido feitas no dia anterior e repetiríamos de qualquer jeito, melhor que fosse estando vazio.

Resolvemos fazer o sentido contrário do primeiro dia, nos parecia o mais óbvio. E lembramos que o Bob Esponja estaria na loja dele para fotos. E corremos para lá, seria o primeiro personagem que o Mateus veria de forma efetiva, alguém que ele gosta realmente e eu estava ansiosa por isso.



O que eu achei de mais legal na loja do Bob Esponja é que está tudo a venda, do chão até o teto. Tudo mesmo. Todos os itens que fazem parte da decoração podem ser comprados, é evidente que são caríssimos, mas para quem gosta...Mas não consigo imaginar quem compraria uma poltrona falante do Bob Esponja para colocar em sua sala, mas existe gosto para tudo não é ?!


Mateus ficou tão empolgado com o Bob Esponja que adoramos a reação dele então saimos e entramos na fila de novo, estava tão cheio o parque, que já éramos o próximo novamente.

Fiquei muito feliz em ver a inclusão social, o rapaz que cuidava da fila do Bob Esponja era deficiente mental, de forma notável, porém se via a felicidade estampada em seu rosto. Conversou um monte conosco, nos contou de onde era, que era judeu e diversas outras coisas. Eu sou do tipo de pessoa que ainda acredito na humanidade sabe ?! Me sinto uma idiota as vezes. Mas fiquei muito emocionada em ver o rapaz trabalhando.

Combinamos que o último dia em cada parque, seria o dia em que faríamos todas as compras. Coisas bem úteis como se pode imaginar : Compramos pantufas, uma batata daquelas de montar para o Mateus, dominó para o Mateus, bonecos do Bob Esponja, imãs de geladeira, porta retratos, fotos, action figures para o marido, porta moedas, canetas e etc... O resultado foram 4 sacolas. E agora ? Bom vamos colocando no carrinho. Mas e a chuva ? Ah agora já era. Fechamos tudo como deu e socamos embaixo do carrinho. O difícil foi a briga para colocar São Paulo dentro do Rio de Janeiro.


E saimos dançando e cantando pela chuva a fora, mentira, saímos é correndo mesmo. Não tínhamos capas e nem guarda chuvas ainda. Na loja do Bob Esponja não tinha. Então o jeito era sair correndo, uma tarefa bem fácil para quem mal conseguia andar de tanta dor na perna.Mas eu não desisto nunca, vamos que vamos.

Meu marido é fã do Exterminador do Futuro (na verdade é do Shwhauhnneguer kkkkk, mas como não sei escrever o nome dele e estou com preguiça de entrar no Google neste momento, fica assim mesmo) e foi para lá que fomos.


Ao entrar, o Mateus começou com a história do medo novamente. E esta sem sombra de dúvida era a atração mais aguardada pelo meu marido. Ele aproveitou a espera para dar uma corridinha ao pipiroom e eu fiquei tentando converser o Mateus de que o medo era desnecessário, que era tudo de mentirinha e mimimi, mas acho que ele não acreditou muito nas minhas teorias. Ainda assim, não perdeu a oportunidade de fazer uma gracinha. Veja a foto :

E essas coisas ele faz de forma espontânea, o que o torna mais engraçado ainda. Eu morro de rir quando vejo essas fotos loucas dele rsrsrs. Isso porque tem só cinco anos. Então assistimos toda a introdução e seguimos para a sala de apresentação. Mas a no meio do show, quebrou, deu pau e puft !!! Tivemos de sair  meio corrido de lá, não entendi muito bem o que houve, mas enfim seguindo o fluxo. Marido ficou frustrado e fiquei chateada em vê-lo assim. Então ficamos zumbizando na loja, resolvendo o que iríamos comprar. Resolvemos comprar as capas de chuva e um guarda chuvas e depois voltar a loja porque compraríamos diversas coisas e o peso não ajudaria. Então saimos e voltamos a dança na chuva, agora mais chique, de poncho. HOHOHO.

Quando passamos pela entrada do Exterminador de novo, estava aberto (HA PEGADINHA DO MALLANDRO) então resolvemos entrar novamente. Entrei e sentei no chão, demorou, demorou e mensagens se alternavam, algumas diziam que começaria em dez minutos e outras diziam Desculpas mas estamos quebrados e mimimi. Pensar com a raiz nem sempre é fácil, coisa que eu sempre digo, então resolvemos esperar os tais dez minutos. E tã tã, funcionou. Conseguimos assistir. Desta vez faltou a moto é verdade, mas tudo bem, tudo era festa. Nos sentamos em um lugar maravilhoso e até eu que não gosto, adorei kkkk. Saimos de volta a loja e comprinhas o/
Desta vez foram poucas coisas : pulseiras para mim e action figures para o marido.

A fome bateu e resolvemos almoçar no Mel´s Drive In. Eu fui pedir e os meninos ficaram sentados.

Comemos e pela primeira vez o Mateus comeu o lanche dele inteiro, acredito que ele estava realmente com fome, coisa rara de se ver.

A chuva voltou e com ela seguimos andando, mais uma parada na loja para mais compras. Aí realmente foram mais coisas úteis : copos, canecas, imas de geladeiras, lápis, canetas, porta retratos, bloco de notas, roupas, bonecos e etc... Nunca mais faço isso na vida.

As sacolas que já eram muitas começaram a pesar, o Mateus estava com sono, a chuva não parava, já tínhamos visto tudo o que queríamos então decidimos que iríamos embora, porque ainda tínhamos toda aquela trajetória Citiwalk e estacionamento, Mochilas, chuva, quase dez sacolas, Mateus com sono. Estava mesmo complicado.

Fomos indo embora na sensação de missão cumprida, voltaríamos ainda mais um dia para o complexo, mas até aqui este parque tinha nos ganhado em toda parte visual.

A chuva não estava forte, mas estava chata, cansativa.

Saímos de lá e fomos para onde ? Nossa segunda casa nos EUA. O Walmart da Kirkiman.

Ficamos além de comprando, tirando fotos das coisas, porque é tudo tão grande que eu ficava impressionada e achava a maior diversão isso. Como caipira se diverte com pouco né ?! Para mim era tudo novidade, tudo divertido demais...

Terminamos o dia, eu imagino que assim, porque a minha memória é ótima e eu não tenho mais registros do que fizemos depois :/


31.05.2012 - Universal Studios

E lá vamos nós outra vez. Acordamos acabados. Eu reclamando horrores ainda de dor no pé e pernas, buscando ainda uma solução para diminuir a dor que eu tanto sentia. Mas me lembrei que a culpa disso tudo é exclusiva do meu sedentarismo e que só o tempo talvez me ajudasse. Então segui firme e forte, ou melhor, nem tão firme e nem tão forte, mas presente.

No dia anterior a minha mochila da Guaraná Brasil que eu tinha levado do Brasil estorou :/ . E o Mateus não tinha levado o óculos de sol dele, então estava reclamando bastante por conta do sol. Fomos correndo até o  Premium da Int Drive para passar na Oakley. Compramos o óculos para ele, eu comprei uma mochila pequena do jeito que eu queria e pronto.

E lá fomos nós rumo a Citiwalk e consequentemente a Universal. Estávamos muito ansiosos pois era mais um dia de primeira vez.

(A parte mais legal em reescrever tudo o que vivi, é que me vejo radiante como nunca me vi em nenhum outro momento da minha vida, é algo simplesmente surreal reviver tudo isso através das fotos, embora para mim pareça que nem aconteceu)

 Mateus realizado em ter seus óculos de sol, eu aproveitei e comprei mais um que amei quando vi. Ele lembra bastante o Wayfare da Rayban, mas ao mesmo tempo possui as laterais mais quadradas. (Fiquei até feliz quando vi a Nina Dobrev com um igual)

E lá fomos nós para toda aquela andança do estacionamento até a efetiva entrada de Citiwalk e depois até a Universal.

Conforme a minha promessa, mais um dia de antes de tudo comer Cinnabon

Marido tinha muito pique, então quase que constantemente ele estava um passo a frente rsrsrs.

Vimos que a frente do Nascar nos carros, estava até vazio, então resolvemos parar para tirar algumas fotos, porque quase sempre quando passamos nos outros dias estava cheio.


 De repente, Mateus sai correndo e pede para tirar uma foto no outro carro que ficou vazio, quando viramos para acompanhar, ele já estava nesta pose em cima do capô do carro, fiquei um pouco brava na hora, mas não pude deixar de fotografar a alegria dele.
E depois disso ainda saiu mais uma foto,  Mateus disse que faria algo diferente. E não é que fez mesmo ?

Como já estávamos super atrasados, resolvemos parar para fazer fotos dos locais que estariam mais vazios por conta do horário. Então pudemos fazer toda esta parte com calma, ou uma bela tentativa disso.
Mateus estava muito inspirado, quis tirar muitas fotos e foram diversas poses diferentes. Estava radiante.


E chegamos. Visualmente foi um dos meus parques favoritos. Me pediram para responder uma pesquisa, lá fui eu.


Seguimos andando.

Logo em que chegamos estava rolando um som, resolvemos parar lá para ouvir um pouco e fui logo filmar, mas esqueci que quando se está com uma filmadora na mão, não se pode dançar, aí imagina como a filmagem ficou boa e bonita, nada tremida. Quis morrer quando vi. Mas nem sempre é possível pensar com a raiz. :/

O reflexo do cansaço no rosto, já nem me preocupava em usar corretivo, maquiagem e o restante nem tinha pique para fazer. Então usava sempre os óculos escuro, mas vez ou outra não tinha como fugir e era visivel ver como estava esgotada de forma fisica nos primeiros dias, mas eu nem ligava.

A fila do Shrek estava de 15 minutos, então fomos para lá e nos sentamos no chão para esperar. Entramos e que bonitinho, muito bem feito. Mas o Mateus tem pavor de aranha e na hora em que elas aparecem ele entrou em pânico, chorou bastante e tivemos de acalmá-lo, mas nada que tenha feito com que a atração perca o seu brilho. Adorei.
Saimos do Shrek e fomos direto ao Twister. O Mateus entrou em pânico naquela parte da simulação do filme, ele gritava : "Vamos morrer, nós vamos morrer e chorava", mas ali nem tinha como sair, então ficamos assim mesmo, porém não deu para prestar muita atenção.
Este parque me ganhou na simplicidade, nos detalhes em me remeter a outra época, outro tempo, fiquei encantada, emocionada, feliz. Realizada.

Resolvemos ir a Múmia, achamos que era um simulador (não sei se esta é a parte boa ou ruim ao não pesquisar nada sobre um parque rs), então descobrimos lá em cima que era uma ride. OK.OK. Eu amo rides, vamos nessa. Gzuis amado. Nunca gritei tanto na minha vida kkkkkkk.

Em seguida resolvemos almoçar, fomos em um fast food, acho que chamado Louis. Comi um macarrão com molho branco, gostosinho até. Aí a chuva começou, sentamos naquelas casinhas que tem ali e ficamos esperando passar.

Seguimos andando por Hollywood e vimos que tinha acabado de acabar um show do Blue Brothers, então fomos olhar no folheto a hora em que teria outro show. Queríamos muito ver, gostamos muito de música antiga, seja blues, jazz ou rock. Mateus também adora. Então seria um momento que teríamos os três.

Mais uma paixão que temos em comum : carros antigos. Então perdemos um bom tempo vendo e fazendo fotos.
Tive de sentar um pouco para descançar, meus pés estavam muito doloridos. Mas menos do que os outros dias, tênis foi a melhor solução que achei. Mateus aproveitou e foi com a minha cunhada no Arcade.

Enquanto estávamos na área do De Volta para o Futuro, vimos que ira começar outro show do Blue Brothers, ali na rua da frente, mas ficamos lá esperando. E vimos eles ali pertinho da gente e pedimos para tirar fotos, eles aceitaram, meio marrentos, não sei se por personagem ou se por personalidade, mas enfim, o que importava era a foto. 

O show é muito bom, muito animado. Nos divertimos. Dançamos, cantamos. Em um momento em que eles descem do palco e fazem um trenzinho dançando no meio das pessoas, ao final disso, do caminho o Mateus estava lá dançando sozinho. Então eles pararam e começaram a dançar com ele, foi muito legal. Fiquei muito emocionada em ver o meu filho tão pequeno e tão feliz, realizado.

Fui perguntar sobre a parada e vimos que já estava bem perto da hora de começar, então nos dirigimos para Universal Boulevard ou seria Hollywood ? Ah não me lembro mais, mas foi na frente do Twister. Nos sentamos na calçada e ficamos esperando. Estava muito ansiosa por esta parada.
Esperamos por aproximadamente 30 minutos. E a parada começou. Bem tranquila para assistir na área da Universal. Sem empurra, empurra, sem aperto.
Meu Malvado Favorito é um dos meus desenhos favoritos, droga, fiquei emocionada de novo, outra filmagem que foi para o espaço certamente (ainda não assisti), mas possivelmente como eu estava chorando, deve ter ficado tremida. Os minimins vem a frente, em diversos carros diferentes.


Em seguida vem outro carro com o Gru e as meninas, ai que lindo. Muito bem feito os personagens.

Não são lindas ? Amei, amei, amei. A música é uma delícia.

Em seguida vem o pessoal da área do Bob Esponja, Mateus ficou encantado em vê -los


Em seguida veio a Dora Aventureira, que o Mateus assistia quando eram mais novos, mas também adora.
E logo a parada acabou. É bem simples e bem curtinha, mas foi muito bonita de ver. Adorei.

Saimos de lá e seguimos andando para a area do Jaws, boa parte dali já estava em reforma. E a fila para tirar foto no Tubarão estava bem grande e eu não quis esperar. Mateus acabou dormindo neste meio tempo.

O cansaço me bateu forte de novo, eu sentia muita dor, muita mesmo. Mas não queria estragar o passeio de ninguém, achava que seria injusto. Então continuei insistindo lutando contra eu mesma, sedentarismo é péssimo.

Fomos então para a loja do Bob Esponja, comprar algumas coisinhas.

De lá voltamos andando pela parte de trás para sair na parte do Exterminador.

Terminamos assim nosso dia maravilhoso. Saindo de lá fomos jantar no Nascar.

Pedi um Drink de Morango, muito bom, mas para variar muito grande. E cada um de nós pediu um lanche, mas o meu era muito grande e eu troquei com o marido. O atendimento no Nascar é bom, porém é muito demorado, tudo demora demais. E acaba se tornando um pouco cansativo.