Boas Festas !!!

Daremos uma pausa nas atualizações até o dia 02/01 aproximadamente, quando voltaremos com mais um dia do diário de bordo.

Aproveitamos a oportunidade para desejar a todos os nossos amigos, seguidores e a todos que passam por aqui um ano repleto de magia, amor, prosperidade e sonhos realizados.

Esperamos que em 2013 possamos dividir ainda mais coisas boas.


Comprando Ingressos para os Parques


Escrito em São Paulo em 25 de março de 2012
Atualizado em 23 de dezembro de 2012



A primeira coisa que fizemos, foi montar uma prévia do nosso roteiro, bem grosseiro mesmo. Mas que tivesse bem a vontade do que desejávamos fazer. Não seguimos o tão famoso Touring Plans (site que apresenta previsões de dias em que os parques estarão ou não cheios)

Fizemos de acordo com o nosso desejo mesmo. Depois disso, começamos a cotar.

Cotamos na CVC, na Decolar, na Orlando Tickets e em algumas outras agências de turismo, mas fui tão mal atendida por querer comprar apenas ingressos, que não vou nem citar o nome deles aqui.

A CVC parcela em até 10x sem juros, no boleto, cartão e o valor já é convertido para real na cotação do dia, sem acréscimo de IOF. A Decolar segue o mesmo passo, porém parcela em apenas 6x, mas usa uma cotação de dólar mais baixa.

Já a Orlando Tickets, fica em Orlando mesmo, você paga em dólar com acréscimo de 6,38% de IOF, ainda assim algumas vezes os ingressos saem mais baratos.

Então, acabei fazendo da seguinte forma : Os ingressos da Disney eu comprei na CVC, me fizeram o mesmo preço da Orlando Tickets, com os 6.38% a menos do IOF e pude parcelar.

Os da Sea World eu comprei pelo site deles e ganhei um replay, que acabei nem usando. E da Universal 14 dias ilimitados eu acabei comprando pela CVC também, mas já bem perto da viagem, comprei pelo fato do parcelamento. Porém não sei se foi muita vantagem, não neste caso em específico.

Então, para quem quer economizar a dica é sempre pesquisar bastante. Para realizar um sonho não tem preço, mas se pode sair mais barato, melhor aproveitar.

ATUALIZAÇÃO EM 16/2/2014 - Sugiro ainda como opção a cotação e compra diretamente nos sites dos parques, que mesmo não tendo a opção de parcelamento, agora com o aumento do IOF, acaba sendo uma boa opção.

ATUALIZAÇÃO EM 10/12/2013 - Agora o Viajando com a gente faz a intermediação da venda dos ingressos entre o cliente final e o representante. Ou seja, o Viajando com a Gente virou um Agente de Viagens que vende ingressos para todos os parques, trabalhando inclusive com a mesma empresa que trabalha com a CVC, tanto a que fornece em Orlando como a que fornece no Brasil. Desta forma, não mais forneceremos os contatos diretos dos vendedores de lá e daqui e sim passaremos os orçamentos aos interessados em realizar a compra conosco.
A pessoa que realizar a compra conosco, já sai do Brasil com os ingressos em mãos, evitando transtornos de filas em parques ou perdendo tempo de ter de retirar em algum lugar.

Dia de Relaxar - 05.06.2012 - Thypoon Lagoon

Acordamos por volta das 9 horas em dúvida do que faríamos, tínhamos um roteiro, mas estávamos muito cansados, dor em tudo. Então resolvemos ir ao parque aquático. O tempo estava chuvoso, pensamos que ir ao parque seria dia perdido, porque a chuva estragaria com tudo, mas mesmo assim, resolvemos ir a um parque aquático (vai entender ?!). Meio barro, meio tijolo e lá fomos nós. Minha cunhada resolveu ficar. Decidiu que ia se aventurar a bater perna de ônibus.

E lá fomos nós.


Dá para notar pela imagem que o céu não estava dos melhores né ?! (Que delícia ver esta entradinha, fico respirando fundo e feliz só deolhar, ai que vontade que me dá de estar ali) Os nossos planos consistiam e ficar o quanto fosse permitido.

O que eu achei muito legal no Thypoon é que todo o caminho dele, até o estacionamento é todo temático. Tudo explicando o que houve ali para que tenha ficado deste jeito. O estacionamento é gratuito, coisa que nem imáginávamos.

E quando você acha que já viu de tudo, eis que você descobre coisa ainda mais legais. Ou loucas, depende do ponto de vista. Lembrei do "Pimp My Ride" , mal sabia eu, que este carro aí era só fichinha perto de muitos outros que eu ainda veria por lá.



Depois da decepção que havia sido o Magic Kingdom no dia anterior (até então pelo menos), eu fiquei imensamente encantada com a estrutura e os detalhes do Typhoon, ficamos um tempão só olhando tudo.







Logo que chegamos vimos que tinha o Stitch para tirar fotos (nem sabíamos que haviam personagens nos parques áquaticos) e fomos tirar fotos. E logo descobrimos que havia também o serviço de photopass por lá. Eu havia levado o meu cartão do Photopass, ele já era parte inseparável. Mas a fotografa de lá nos orientou a não usar aquele e sim o que ela nos daria que era próprio para a água.
Com direito a beijinho e tudo. É muito engraçado o barulho de lambida de cachorro que ele faz rsrsrs

Fiquei surpresa ao ver que os coletes infantis não só estavam a disposição, como não era necessário pagar a locação. Era gratuito.

Demos uma passada na loja de entrada, compramos algumas coisas e não pegamos o locker porque o parque estava vazio e não saberíamos se iríamos ficar por conta da chuva. Os meninos foram para água e eu não quis entrar. Fiquei na internet e tirando fotos deles.

Fomos naquela piscina de boias, ficamos os 3 andando juntos e nos divertindo, foi muito gostoso. Por incrivel que pareça, foi a primeira vez em dias em que paramos para fazer algo juntos, foi muito gostoso. Demos umas 3 voltas completas. 

Pouco tempo depois o céu fechou de vez, veio o anúncio de tempestade. O parque seria fechado, porque em 30 minutos cairia uma tempestade, todos deveriam procurar um local seguro. E exatamente em 30 minutos a chuva começou. Todo mundo saiu correndo e boa parte das pessoas foram embora. Um funcionário nos disse que estas chuvas costumavam passar e o parque era reaberto. Sentamos no chão na parte da loja como muitas pessoas fizeram e ficamos lá. Quando a chuva começou a diminuir, fomos andar.

O parque estava vazio e aproveitamos para fazer fotos.







Ficaram poquíssimas pessoas no parque. E ali aonde estávamos fazendo fotos não havia ninguém. A chuva havia parado, mas as piscinas ainda não haviam sido liberadas, então as pessoas ainda estavam no coberto, apenas nós estávamos ali nos divertindo e alguns outros gatos pingados.







O Mateus de repente saiu correndo para a água e ficamos naquela reação do pode não pode e em seguida os funcionários disseram que poderíamos deixar porque eles iriam liberar a piscina. Então os meninos foram para água e eu fui comer, comprei um Doritos com uma porção de queijo quente e uma Coca. Me sentei na frente de um trailler e fiquei lá. 





Meus meninos resolveram ir se divertir, eu estava cansada, chata, resolvi sentar na cadeira e ficar na internet, observando, contemplando a beleza e conversando com Deus só eu e ele. Era meu momento.


Nós fizemos uma brincadeira em que íamos até o meio da piscina e quando soava o alarme nos abraçavamos e nos deixavamos levar pela onda, tipo tomando um caldo mesmo. Mas sempre segurando o Mateus de forma superior a água para que ele não afundasse na onda. Mas o alarme assustava o Mateus e quando ele ouvia ele saia correndo para o raso, então depois resolvemos ficar mais no raso mesmo com ele. Até mesmo na hora de algumas fotos do Photopass, ele estando no raso com o barulho ele ficou assustado. Com o tempo ele foi acostumando, mas resolvemos não forçar a barra e deixamos ele brincando no rasinho. E eu de olho. Piscina é algo em que eu não confio muito, quase morri afogada por duas vezes quando criança, então tenho muito cuidado com isso.

O que é aquele chão ? Eu entendi porque as pessoas entram com uma espécie de sapato. Meu pé estava precisando ser lixado realmente, isto é fato. Mas não ser arrancado fora.  Mas ir embora com a onda os três juntos era o mais legal. Dou risada só em lembrar.

Logo os meninos saíram juntos da água querendo ir a corredeira de novo, mas eu não queria sair dali. Então eles foram e eu deitei, quis conversar com Deus e acabei pegando num sono, um sono delicioso. Eu estava dormindo, mas tenho sono leve, escutava os Damon's (aqueles pássaros pretos que parecem corvos, tem em todos os parques) , eu os chamo de Damon's e cumprimento todos que vejo, quem assiste Vampire Diaries entenderá rs
Enfim, o pássaro , a onda e eu babando longamente. Eis que acordo com uma água gelada pingando em cima de mim. Meu querido filho jogando água em mim =]

E eu acordo tãaaaaaaaaaao de bom humor, que vocês nem fazem idéia de quão legal eu sou neste momento.


Eu nem tinha me tocado que havia chuveiro lá (é lógico que haveria né ?!), mas enfim. Eu vi que as usavam o secador de mão como secador de cabelo, então uma americana me emprestou um tal creme (foi aí que eu conheci efetivamente o Aussie 3 minutes) e me ensinou como usar o secador de mão como de cabelo.E lá fui eu usar a tecnologia americana. hahahahha. Então fiz uma nota mental, que na próxima vez, além de levar as coisas para já tomar um bom banho eu já deveria levar este creme.

A chuva resolveu aparecer, então, resolvemos que desta vez era melhor não arriscar e ir embora. Já eram cinco e pouco.

Ainda voltaríamos a este parque por uma ou duas vezes, mas quisemos fazer foto de tudo.

Vem comigo ?!? A vista deste mini mirante é muito legal, mesmo com um dia meio barro meio tijolo, dá para perder uns bons minutos ali.

O Mateus adorou ficar fuçando.

Fomos andando que ainda tínhamos uma boa caminhadinha pela frente e a chuva estava vindo. Se fosse como a primeira que veio, não seria nada agradável.


O photopass Guy também fez diversas fotos nossas, é que neste netbook que estou usando não há leitor de DVD, mas depois postarei na página do Photopass as fotos deste dia.


E assim termina a primeira parte do nosso dia no Thypoon Lagoon. Voltamos para o Hotel para decidir o que faríamos. Depois que venho contar a segunda parte. Beijinhos e me desculpem pela demora.

DICA QUENTE - Aos rapazes que gostam de bermudas da QuilkSilver neste parque são vendidas  as mesmas bermudas dos Outlets, com preços mais baixos. Meu marido ficou p da vida, porque no dia anterior havia comprado várias. Vestidos com temas Disney, também são mais baratos do que nos parques.

OBS : Quem acompanha o blog desde o começo, pode ver que eu ia postando rascunhos diretamente lá de Orlando para ir lembrando depois o que eu fui fazendo, essas postagens depois, quando eu voltei, por questões visuais e de organização do blog, eu as tornei privadas. Porém hoje estava deletando algumas e encontrei o rascunho do dia de hoje, então vou encaixá-las aqui. Se você leu este post antes do dia 23.12.2012 e estiver com vontade, leia novamente, pois eu adicionei novas informações.

Vamos falar Sobre Hotel - Qualitty Inn 7600

Muita gente me pergunta sobre este hotel, aí eu notei que ainda não havia falado sobre ele. É claro que além da tarifa caber no seu bolso, você deve pesquisar muito as referências.

Tem a questão dos furtos corriqueiros em Orlando, limpeza, bedbugs (aqueles bichinhos são o inferno), café da manhã ou infra estrutura para que você tome no quarto e etc... Inicialmente havíamos fechado qualquer um : Ah hotel é só para dormir mesmo !!! Mas íamos com criança e comecei a ler as resenhas no Tripadvisor acabei conversando com meu marido e resolvemos trocar.

Ficaríamos num hotel em Kissimmee, um dos mais em conta que havia pela Decolar. E até que as resenhas não eram assim tão ruins, existiam piores, mas eu sou um pouco chata (um pouco eu estou sendo legal tá ?!) e como era a primeira vez, eu queria que tudo saisse perfeito. Foi aí que eu achei o Qualitty Inn.

Eu adorei a localização dele, adorei ver que tinha um Burguer King na frente e um Mc no fundo (que é o maior Mc do mundo) entre muitas outras coisas que você tem ali saindo a pé Pegamos uma díaria de R$ 120 + taxas, sem café da manhã.

Os quartoes são com corredores externos, mas em ambas as entradas possuem guaritas e você recebe crachá de identificação. Nunca vi gente estranha andando por lá. Sugiro que peça andar térreo, porque ficar subindo escadas com malas, criança, carrinho e cansaço, não dá. Ficamos para o lado do estacionamento e não tivemos problemas.

Limpeza foi adequada, toalhas trocadas quase que diariamente e um dia deixei um bilhetinho dizendo que precisava de mais, então sempre me deixavam 5 a mais. Mas eu sempre deixava gorjeta. Deixei objetos de valor, por descuido e não mexeram. Tive problema com inseto no quarto por duas vezes, mas não considero isso absurdo, porque em casa as vezes também acontece. Roupa de cama trocada uma vez na semana. Nosso quarto ficava sempre cheio de caixas (deixavamos em um canto, empilhadas), muitas e era sempre arrumado.

Ar condicionado, ferro e tábua de passar, microondas, cafeteira, secador de cabelo, frigobar tudo já incluído na tarifa. Não é cobrado aquela taxa de resort. Internet wifi e no nosso quarto sempre funcionou bem.

Recebimento de encomendas tranquilo, porém tarifado. Para retirar apenas com documento e só a pessoa a quem estiver direcionado o pacote. Envelopes pequenos não é cobrado, médios cinco dólares, grandes dez e enormes vinte dólares. Ficar atento ao horário de atendimento deste setor. O rapaz que atende não é muito gentil, mas faz o trabalho dele e é o que importa.

Na recepção existem algumas meninas que falam português, mas no geral elas se esforçam para se comunicar. O atendimento não é como no Brasil, mas no geral é bom, não tenho do que reclamar. Quando chegamos nosso quarto não estava arrumado, arrumaram na hora e sem problemas.

O café da manhã é cobrado a parte USD 8, crianças não pagam. Café americano. Tem ovos, bacon, salsichas, donuts, frutas, pães, wafles, tem aquela calda que esqueci o nome, baggel, panquecas. Chafé, leite.. Refrigerante é cobrado a parte.

A localização é realmente um ponto que vale a pena ressaltar. Excelente. Com tudo muito perto.
<body>


<div id="fb-root"></div>
<script>(function(d, s, id) {
  var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0];
  if (d.getElementById(id)) return;
  js = d.createElement(s); js.id = id;
  js.src = "//connect.facebook.net/pt_BR/all.js#xfbml=1";
  fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);
}(document, 'script', 'facebook-jssdk'));</script>

Declaração de Porte de Valor

Eu vejo Muuuuuuuuita gente com dúvida sobre este assunto, então, enquanto não faço o diário de bordo do próximo dia, resolvi tentar ajudar neste tema.

Antes de tudo é preciso você ter bem claro alguns conceitos na sua cabeça. Aqui no Brasil você é obrigado a declarar se estiver saindo do país com mais de dez mil reais em espécie. Espécie é considerado : dinheiro (na moeda do país ou em real) ou em Traveller Cheques. VTM e cartão de crédito NÃO ENTRAM

Para fazer a sua declaração, clique aqui Você deverá preencher todos os campos solicitados. Imprimir em 2 vias. Levar o boleto de compra do câmbio e a sua capacidade de pagamento (extrato bancário, holerith, declaração do IR) no meu caso nem pediram nada, mas segundo o site eles podem pedir.

Eu levei a maior parte do meu recurso em Traveller porque consegui uma cotação muito boa. Então acabou compensando muito. E isso pode acontecer com todo mundo. E é bom estar dentro da lei. Pois se o fiscal pegar, além de aprender todo o recurso superior aos dez mil você responderá legalmente por isso, para quê correr risco não é mesmo ?

No dia do seu embarque, você deverá ir a parte de desembarque internacional, entrar pela parte do desembarque e informar ao segurança que precisa fazer a declaração. Em alguns minutos um fiscal virá até você e fará a conferência, pedirá a declaração, validará no computador. Uma via ficará com ele a outra ele lhe devolverá carimbada e assinada. Esta via você deverá guardar até o seu retorno. E caso lhe seja solicitado, apresentar na volta.

Já nos EUA, o procedimento de comprovação é se você declarar estar portando valor superior a USD 10 mil em espécie por família, residente no mesmo endereço. Aí você terá de comprovar a origem do recurso e responder todas as perguntas solicitadas. Lembrando que VTM e cartões de crédito não entram da mesma forma que aqui no Brasil.

Espero ter ajudado a sanar as dúvidas sobre o assunto.